Câncer também atinge os olhos

Você provavelmente nunca imaginou, mas os olhos também podem desenvolver câncer.  Embora seja raro, o tipo de tumor maligno de olho que mais acomete os adultos é o melanoma de coroide. Estima-se que apareçam cerca de quatro a seis casos para cada milhão de habitantes todos os anos.

A coroide é uma camada vascular da parede do globo ocular, que fica entre a retina (membrana visual) e a esclera (parte branca do olho). O melanoma de coroide tem origem nas células que produzem a pigmentação da íris na região da coroide e, geralmente, surge como uma lesão única, sem afetar o outro olho.
Estudos indicam que fatores como raça branca (principalmente pessoas com olhos e cabelos claros), idade avançada, pintas que sofrem transformação maligna (Nevus da Coroide) e melanocitose óculo-dermal (Nevus de Ota) são responsáveis pelo surgimento do melanoma de coroide.

Ainda não existe um consenso sobre os fatores ambientais que poderiam causar a doença, porém acredita-se que ao contrário dos melanomas de pele, o sol não é um fator relevante no surgimento do melanoma ocular.

Sintomas e diagnóstico

Em alguns pacientes o melanoma de coroide é assintomático, enquanto que em outros pacientes o tumor pode causar baixa de visão, defeitos no campo visual, fotopsia (flashes luminosos) e dor.

Um dos principais exames para confirmar a doença é o mapeamento de retina, realizado por meio de equipamentos especiais e com as pupilas dilatadas. Além disso, a ultrassonografia do globo ocular e exames como angiofluoresceinografia (análise da vascularização intraocular) e ressonância nuclear magnética podem ser necessários para o diagnóstico definitivo do câncer.

Tratamento

O tratamento contra o melanoma de coroide tem o objetivo de controlar a lesão tumoral e preservar a visão. A escolha do melhor tratamento varia de acordo com o tamanho e localização da lesão, idade e saúde sistêmica geral do paciente.

Após a descoberta da doença, geralmente é feito um monitoramento com exames oftalmológicos a cada seis meses. Caso o tumor comece a crescer, o tratamento pode ter início com a braquiterapia ocular isolada ou associada à laserterapia.

Além disso, o paciente deve ter o acompanhamento regular de um oncologista, já que esse tipo de tumor pode acometer outros órgãos, como fígado e pulmão.

Posted in:

Blog

Caso queira mais informações a respeito deste exame utilize o espaço abaixo:

Facebook

Instagram

This error message is only visible to WordPress admins

Error: No feed found.

Please go to the Instagram Feed settings page to create a feed.

Desenvolvido por &
WhatsApp
x
Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “Aceitar” ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site. Aceitar